Posts arquivados em: Tag: Bahia

Chapada Diamantina: você precisa conhecer esse paraíso!

13 setembro, 2018

Era uma noite de sexta-feira. Chegava em casa do trabalho. Uma semana estressante. Liguei o computador e, em um portal de viagens, me deparei com uma foto. A imagem mostrava uma espécie de caverna que escondia um lago azul cristalino. Um tal de Poço Azul…Nele, refletia uma luz ‘divina’, que emociona quem assiste de perto à tamanha beleza. Sem hesitar, decidi: é para lá que vou nas férias!

Poço Azul

♥ Aliás, você sabe como eu faço para viajar tanto? Descubra aqui!

Dois meses depois lá estava eu, no centro da Bahia, onde estão algumas das mais altas serras do Brasil. Do alto delas, nascem quedas d´água que se transformam em belíssimas cachoeiras com piscinas naturais de cor ferrugem. A Chapada Diamantina vai chamar sua atenção pelo cenário único e peculiar que a difere de todo o resto da Bahia e também do território brasileiro.

Gruta da Pratinha

Você vai ficar boquiaberto quando se deparar com a gigante Cachoeira da Fumaça, com suas águas que evaporam antes de atingir o solo, vai se emocionar com as esculturas desenhadas pela Mãe Natureza na Gruta da Lapa Doce e se deleitar com as enormes chapadas vistas do alto do Morro do Pai Inácio. E, sim, você vai se acabar nas águas geladas da Cachoeira do Buracão, com seus gigantes cânions e paredões. E, se tiver sorte, vai se encantar com a dança das borboletas, que dão um show à parte ao redor da queda d´água!

Vai viajar? Reserve aqui um hotel pelo melhor preço!

Prepare-se para andar muito! A Chapada Diamantina é um destino que requer muito esforço físico. Para conhecer a maioria das atrações, são necessárias longas caminhadas. Portanto, se você não é o tipo que curte usar muito os pezinhos, sugiro passar as férias em outro lugar. Rs

Cachoeira das Rodas, no Vale do Capão

♦ Faça sua cotação de seguro viagem com o Seguros Promo!

Quem vai para a Chapada Diamantina geralmente fica hospedado na cidade de Lençóis. Mas, nesse post eu vou te dar um bizu e sugerir um roteiro mais alternativo, que vai fazer você aproveitar ainda mais tudo que a região tem a oferecer. Vamos lá? 🙂

Roteiro alternativo para a Chapada Diamantina

Vale do Capão

A cidade de Lençóis oferece boa infraestrutura para receber turistas e é de lá que partem os passeios para as atrações locais. Mas, sugiro fazer um roteiro diferente e dividir sua viagem entre Lençóis e o Vale do Capão. Motivos não faltam!

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Portuguese/English A etiqueta do biquíni aparecendo, maravilha! 🙈 Mas nenhuma gafe é capaz de tirar o brilho da Cachoeirinha.😂 Muito em breve vou postar no blog (link na bio) um roteiro alternativo pela Chapada Diamantina. Sim, sou dessas que amam desbravar destinos pouco conhecidos e descobrir cidadezinhas pouco visitadas em meio a destinos muito turísticos. Lá no blog vcs ainda vão conhecer muuuuitos roteiros alternativos! 💜.. . ………………………………………………………………… The bikini label was showing up…Great, uh? 🙈😂 But that cannot take the bright away from Cachoeirinha waterfall, located at Chapada Diamantina National Park, in Bahia state, Brazil. 😏 That’s a region full of nature, which holds some of the most beautiful waterfalls and lakes on Earth! Soon I will publish a post about it on the blog (link on the bio) with alternative tips for you guys to enjoy the best of that area. 👊💜. . #chapadadiamantina #femmetravel #girlsdreamtravel #sejogacomigo #dicasdeviagem

Uma publicação compartilhada por Danielle Monteiro (@por_tras_da_foto) em


O Vale do Capão é uma cidadezinha muito charmosa, cheia de gente diferente e alternativa, com um clima bem hipponga, e fica bem pertinho de algumas das melhores cachoeiras da Chapada Diamantina. Além disso, dispõe de pousadas e hospedagens para receber os visitantes. De lá, você parte para os pontos turísticos a pé, ao contrário de Lençóis, onde é preciso pagar uma agência de turismo (e não é barato!), que vai te levar às cachoeiras que ficam no Vale do Capão. Rs. Nosso guia no Vale do Capão cobrou 100 reais do grupo. Como éramos cinco, ficou um precinho camarada para cada um. E aí, te convenci? 🙂

Onde fica e como ir para a Chapada Diamantina?

Lençóis

O Parque Nacional da Chapada Diamantina fica no centro da Bahia. É um lugar belíssimo, repleto de serras. Por lá, nascem a maior parte dos rios das bacias do Jacuípe, Rio das Contas e Paraguaçu. Como chegar lá? Depende de qual será seu destino:

  • Para quem vem de avião:
  1. Destino Lençóis: O município possui um aeroporto que fica 20 km do centro, com voos às quintas e domingos, saindo de São Paulo, Salvador e Belo Horizonte. Antes de ir, confira se os dias ainda são esses, pois podem mudar de tempos em tempos.
  • Para quem vem de ônibus, partindo de Salvador:
  1. Destino Lençóis: Partindo de Salvador, a linha de ônibus Rápido Federal faz o trajeto até Lençóis. Duração: 6h30m em média. Bizu: Antes de comprar seu voo para Salvador, verifique os horários das saídas dos ônibus para Lençóis, pois são escassos e acontecem em horários espaçados. Assim você evita tomar um chá de cadeira.

Clique aqui para mais informações.

2. Destino Vale do Capão: Chegando em  Salvador, pegue um ônibus até a cidade de Palmeiras. A linha                        Rápido Federal faz o trajeto, com três saídas partindo da capital da Bahia, uma de manhã cedo, outra à tarde                e outra à noite. Duração: 7h15 em média. Chegando em Palmeiras, tem vários carros disponíveis para frete                    que levam ao Vale do Capão. Distância: 20 km. O trajeto de Salvador até o Vale do Capão é mais longe do que             até Lençóis e requer mais esforço, mas, no final, vai valer a pena! Além do mais, será uma aventura! 😉 

Clique aqui para mais informações.

Quantos dias ficar e quando ir à Chapada Diamantina?

Cachoeirinha, no Vale do Capão

A Chapada Diamantina é muito extensa. Por isso, reserve no mínimo oito dias para ficar por lá, sem contar com os dias de viagem de ida e de volta. Essa quantidade é suficiente para você conhecer os principais pontos turísticos da região.

Gruta da Pratinha

E quando ir à Chapada Diamantina? Embora não exista um período em que não é aconselhável visitar a região, indico ir entre maio e setembro. Nessa época, além de não ter muita incidência de chuva, os Poços Azul e Encantado ficam ainda mais lindos e azulados com a incidência de raios de sol em suas águas. Entre novembro e janeiro, chegam as chuvas, que acabam deixando as trilhas com lama.

Bizu: Fique quatro dias no Vale do Capão, conheça os pontos turísticos da Chapada Diamantina que ficam nas redondezas. Reserve os dias restantes em Lençóis e aproveite as atrações próximas de lá.

Como é o tempo na Chapada Diamantina?

Cachoeira do Rio Preto, no Vale do Capão

O tempo na Chapada Diamantina varia no decorrer do dia. Durante a manhã e a tarde é geralmente quente. Já à noite esfria, principalmente no Vale do Capão. Por lá o clima é mais frio à noite do quem em Lençóis. Então, leve calça e agasalho. Durante o dia, short ou calça tactel e camiseta com mangas (por conta da intensidade do sol). Entre novembro e abril, a máxima chega a 30° e a mínima a 20°. Já entre maio e outubro, a máxima é de 26° e a mínima de 17°. O sol lá bate muito forte por lá e, como não há mata fechada nas trilhas, fica mais fácil de você queimar a mufa. Rs.

Pratinha

Bizu: Leve boné (imprescindível!). Ao invés de tênis, use, se possível, botas de trilha, pois, com algumas pedras no caminho, há o risco de virar o pé. E que já estejam usadas, para não criar calos. Não se esqueça do protetor solar, para não sair de lá torrado, claro, rs, além de muita água e algo para comer. Lembre-se de que a maioria das trilhas na Chapada Diamantina são longas e intensas.

O que fazer na Chapada Diamantina?

Poço Encantado

Quais são os pontos turísticos da Chapada Diamantina? Inúmeros! Você vai sair de lá com gostinho de quero mais! Você tem duas opções para conhecer a região: a primeira é alugar um carro, pegar um mapa e ir com a cara e a coragem para cada um dos pontos turísticos. Vai gastar bem menos, mas corre o risco de se perder. A segunda opção é contratar uma agência para te levar às atrações locais, quando você estiver em Lençóis, e um guia, enquanto estiver no Vale do Capão. Eu sempre aconselho os viajantes que curtem trilha como eu a contratar um profissional local, pois eles conhecem os melhores caminhos, atalhos e cachoeiras. Você vai gastar mais, porém, será mais seguro do que ir por conta própria.

Então, vamos logo para a parte boa, né? Bora falar das belezuras da nossa linda Chapada Diamantina:

  • No Vale do Capão: Do Vale do Capão, como disse, dá para ir a pé para muitos pontos turísticos da Chapada Diamantina. Reserve um dia para conhecer as famosas cachoeiras da Fumaça (imperdível!) e Cachoeirinha e outro para se esbaldar nas águas das cachoeiras das Rodas e do Rio Preto. O terceiro você pode deixar para conhecer o Poço do Gavião e o quarto para visitar as cachoeiras da Purificação e Angélica. Para os mais aventureiros, dispostos e adeptos do trekking, e que dispõem de mais tempo, a dica é fazer o percurso de três dias ao Vale do Pati. É lindo de morrer!

Bizu: Contrate um guia! Algumas trilhas têm bifurcações, daí é fácil se perder. Além disso, escorpiões e cobras corais podem passar pelo caminho (eu mesmo vi uma que atravessou a trilha!) e, no caso de algum incidente, o guia saberá o que fazer.

  • Em Lençóis: Para relaxar e descansar das trilhas intensas feitas no Vale do Capão, comece pela cachoeira Ribeirão do Meio, que fica em uma trilha curtinha ali mesmo em Lençóis, e aproveite para se divertir em seu tobogã natural! Reserve um dia para conhecer a Cachoeirinha e a Cachoeira da Primavera, que também ficam em uma trilha próxima, dentro da cidade. No percurso, também está o rio Serrano, ótimo para relaxar.

Cachoeirinha, em Lençóis

Tirando essas atrações já citadas, acessíveis a pé, para conhecer os demais pontos turísticos da Chapada Diamantina partindo de Lençóis, é preciso contratar uma agência de turismo, pois eles ficam distantes, em outros municípios. E prepare o bolso, pois os preços são bem salgados (alguns passeios, na época em que fui, saíram por 180 reais por pessoa!).

Vista do Morro do Pai Inácio

Nessa listinha seleta, estão o Morro do Pai Inácio, de onde se tem uma vista belíssima das chapadas, o Poço Azul (onde é possível mergulhar e assistir ao raio de luz que incide em suas águas cristalinas), o Poço Encantado (observação do raio de luz: abril a setembro, das 10h às 13h30). Nesse não é possível mergulhar) e a Gruta da Lapa Doce. Tem ainda o Rio Mucugezinho e Poço do Diabo, e a Pratinha, que é composta por rio e gruta de águas azuis cristalinas. Todos são super válidos de conhecer!

As agências oferecem vários roteiros e dentro de cada um incluem até três atrações. Não tire da lista de forma alguma: a Cachoeira do Buracão, com sua queda d´água gigante cercada por cânions (de arrepiar!!!!), e a Cachoeira da Fumacinha. Se sobrar tempo, visite a Cachoeira do Mosquito. Detalhe: ela é a única da região que oferece acessibilidade para cadeirantes. 

Onde comer na Chapada Diamantina?

  • Vale do Capão: Na cidadezinha, tem uma pizzaria vegetariana maravilhosa, chamada Pizza Integral Capão Grande. A variedade é pouca, mas o sabor é delicioso. Até os não adeptos do vegetarianismo curtem! Massa fina, integral e preço super em conta. Recomendo! No Vale do Capão não faltam opções de lugares para comer, o preço é mais em conta do que em Lençóis. 

Restaurantes em Lençóis

  • Lençóis: O centrinho de Lençóis é povoado por inúmeros restaurantes, cafés e bares. Opções não faltam. Gosta de hambúrguer? Então experimente os hambúrgueres da Carcará Hamburgueria. São muito gostosos, a batata é uma delícia e o molho nem se fala! Depois de um dia de muita trilha, a boa é também comer uma massa no jantar. Nesse caso, indico o El Jamiro. 

 

 

 

Península de Maraú (Bahia): tudo sobre esse paraíso!

27 maio, 2018

Chega mais que eu vou te levar a um paraíso! Nem mesmo as imagens fotográficas desse refúgio nordestino conseguem traduzir tão fielmente sua infinita beleza. Lá tem piscinas naturais, praias desertas, coqueirais, bromélias gigantes, um pôr do sol de tirar o fôlego e um céu…ah, um céu azul com nuvens tão baixas que parece até que vão se encontrar com o mar… Seu nome? Península de Maraú. E onde fica esse lugar paradisíaco? Na Costa do Dendê, no sul da Bahia, terra rica em natureza, sombra e água fresca, gente simpática e, claro, muita comida boa!

Vem comigo que eu vou te mostrar tudo que existe por trás desse destino baiano! E te garanto uma coisa: se um dia for à Península de Maraú, as chances são grandes de você querer ficar… de vez. Ah, essa Bahia

Deslize para ver algumas fotos da Península de Maraú:

♥ Encontre aqui algumas das melhores ofertas de passagens aéreas para a Bahia!


Como chegar à Península de Maraú?

Para chegar à Península de Maraú, é preciso percorrer um longo caminho. Mas cada ‘perrenguinho’ será válido! Tem duas formas de chegar lá:

Lancha rápida que parte de Camamu a Barra Grande

– Vindo de avião de Ilhéus:

Para quem vem de avião, Ilhéus é o ponto de partida mais próximo para chegar à Península de Maraú, na Bahia. É mais rápido, porém mais caro, pois os voos para Ilhéus têm o valor mais salgado. E qual o trajeto? Vamos lá:

  • Chegando em Ilhéus, pegue um ônibus para Camamu. A empresa Águia Branca faz o percurso. Tempo de viagem: 2h30. Valor do bilhete: 27 reais.

Píer de Camamu

  • Em Camamu, pegue uma lancha rápida até Barra Grande, com tempo de viagem de 40 minutos. Tem ainda a opção de barco, com duração de no mínimo 1h30 de viagem. Valor da lancha rápida: 25 reais. Pronto, você finalmente chegou à Península de Maraú! Mas…
  • Se estiver hospedado em Taipu de Fora, terá que pegar uma jardineira em Barra Grande, que leva em média 20 minutos para chegar a Taipu.

Píer de Barra Grande

– Vindo de avião de Salvador: 

Outra forma de chegar à Península de Maraú é vindo de Salvador. É mais longe, mas mais barato, pois os voos para Salvador geralmente são mais em conta do que para Ilhéus. Veja só como chegar:

  • Sua viagem vai começar pegando o ferry boat, no centro de Salvador, até Bom Despacho. Tempo de viagem: em média 1 hora. Valor do bilhete: 5 reais.

Ferry boat

  • Chegando em Bom Despacho, pegue um ônibus para Camamu. São duas as empresas que fazem o trajeto: Águia Branca e Cidade Sol. Tempo de viagem: aproximadamente 4h. Valor do bilhete: 36 a 40 reais. Os ônibus saem a cada uma hora e partem lá mesmo do terminal do ferry boat. Bizu: O ideal é pegar o ônibus de Bom Despacho a Camamu até as 11h30, pois os ônibus geralmente saem com atraso. Assim você não corre o risco de perder a última lancha lá em Camamu, que parte às 17h para Barra Grande.

Vista do píer de Camamu

  • Em Camamu, você pode pegar a lancha rápida até Barra Grande, com tempo de viagem de 40 minutos, ou um barco, que leva no mínimo 1h30 para chegar ao destino. Valor da lancha rápida: 25 reais.
  • Pronto, você finalmente chegou à Barra Grande, na Península de Maraú! Aleluia! rs  Lembrando que, se for se hospedar em Taipu de Fora, terá que pegar ainda uma jardineira, assim que chegar em Barra Grande. Valor da jardineira: 13 reais. Duração da viagem: em média 20 minutos. 

Quantos dias ficar na Península de Maraú?

Se puder, a vida inteira! rs Mas se estiver só de férias, sete dias são suficientes para aproveitar tudo que esse paraíso chamado Península de Maraú tem a oferecer. Reserve dois dias somente para a viagem, que é longa, principalmente se você vier de fora da Bahia.

Taipu de Fora

Dica: Divida sua estada entre Taipu de Fora e Barra Grande. Assim você aproveitará o melhor de cada um desses lugares: a vibe ‘relax’ e a tranquilidade que Taipu tem a oferecer e o agito de Barra Grande, onde estão bares, comércio e de onde saem os passeios pela região. 

O que fazer na Península de Maraú?

Mergulhe com os simpáticos peixinhos das piscinas naturais de Taipu de Fora, faça um passeio de quadriciclo pela Trilha das Bromélias rumo às lagoas azuladas e praias desertas da região, assista ao pôr do sol na Ponta do Mutá e veja toda a península lá de cima do Morro do Farol.

Na maré baixa, Taipu de Fora te convida a mergulhar com peixinhos coloridos e simpáticos. 🙂

Ah, não se esqueça de fazer o passeio de barco até a Cachoeira do Tremembé e as ilhas de Camamu. É lindo! E curta o agito do Buda Beach e Bar das Meninas, que ficam na Praia de Taipu de Fora. As imagens paradisíacas da Península de Maraú rendem belíssimas fotos.


Bizu: O valor do quadriciclo é 150 reais em média, na baixa temporada. Mas, nessa época, dá para negociar e o preço pode cair para 80 reais!

Olha só o que você vai encontrar nas piscinas naturais de Taipu de Fora:

 

Saiba aqui tudo o que fazer na Península de Maraú!

Quando ir para a Península de Maraú?

Quer curtir um agito? Então vá para a Península de Maraú no final de dezembro ou começo de janeiro. Mas prepare o bolso! Os pacotes para o ano novo, por exemplo, podem chegar a 7 mil reais ou mais! Se preferir tranquilidade, vá nos outros meses do ano. Agosto é o mês mais parado por lá. A temporada de chuvas é de abril a maio.

Para a prática de mergulho, a melhor época é de dezembro a abril, quando as águas estão mais claras.

E aí, que tal relaxar numa cama flutuante na Ponta do Mutá?

Onde se hospedar na Península de Maraú?

Não faltam pousadas  na região. Tem opção para todos os gostos: campings, pousadas luxuosas e mais simples. Quando viajo, costumo me hospedar pelo Airbnb, pois vale o custo-benefício! Clique aqui para se tornar um anfitrião do Airbnb e ganhar dinheiro hospedando e conhecendo novas pessoas! Tanto em Taipu de Fora quanto em Barra Grande, fiz a reserva pelo Airbnb. Em Taipu de Fora, fiquei na Home Suite Home e gostei muito! Café da manhã delicioso, quarto aconchegante e boa localização, perto das piscinas naturais da Praia de Taipu de Fora. Os anfitriões Moara e Everton são muito simpáticos, nos receberam super bem e nos deram dicas maravilhosas para curtir a região. Super indico!

Em Barra Grande, me hospedei na Casa Dendê. Tem ótima localização, o quarto é uma graça e a casa fica bem próxima a bares e restaurantes da vila. A Flávia e o André também foram super receptivos e deram dicas bem legais.

Onde comer na Península de Maraú?

Não dá para falar na Bahia sem falar de comida, né. rs No centrinho de Barra Grande tem uma área só com bares e restaurantes. Não vai faltar opção para você experimentar! Gosta de hambúrguer? Então não deixe de conhecer o Maruata. Os sanduíches são deliciosos e agora eles também se especializaram em massa.

Mais bizus:

  • A maioria dos estabelecimentos de Barra Grande e Taipu de Fora aceitam cartão. Mas como na região não há caixas eletrônicos, leve uma quantidade boa em espécie.
  • Internet por lá somente Vivo e nas pousadas e outros estabelecimentos (a maioria dispõe de wifi)

♥ Vai viajar para a Península de Maraú? Sabia que, ao fazer a reserva de um hotel pelo blog, eu ganho uma comissão? E você não precisa pagar nenhum valor a mais por isso. Assim você me ajuda a criar mais conteúdo, com dicas e informações de qualidade para você. 🙂

♦ Você já se perdeu de alguém durante uma viagem? Olha só o que aconteceu com essa viajante em Paris!

Saiba tudo o que fazer na Península de Maraú, na Bahia!

27 maio, 2018

“Há um vilarejo ali, onde areja um vento bom. Na varanda quem descansa vê o horizonte deitar no chão.” Quando escreveu essa música, Marisa Monte devia estar admirando as fotos da Península de Maraú, no sul da Bahia. Rs São imagens que revelam um lugar simplesmente paradisíaco! São 50 km de praias praticamente desertas embelezadas por coqueirais e bromélias e um marzão azul de águas mornas.

Praia do Cassange

Lagoas, mirantes e cachoeiras também complementam o belíssimo cenário. Quando for para lá, uma sensação de paz e tranquilidade vai tomar conta de você e deve bater aquela vontade de ficar mais tempo, ou até mesmo para sempre… Conheci muita gente que ficou de vez, viu? rs

Para você curtir tudo que a Península de Maraú tem a oferecer, preparei uma listinha completa com dicas do que fazer por lá. Em sete dias dá para aproveitar tudo que tem de bom nesse paraíso.

Bizu: Divida a estada entre Taipu de Fora e Barra Grande, assim você aproveitará o melhor de cada um dos dois lugares. No primeiro, você encontrará muuuuuita tranquilidade. Já Barra Grande é mais agitada, é lá que estão os bares e comércio local.

♥ Passagens aéreas baratas! Veja aqui algumas das melhores ofertas!


Vamos às dicas do que fazer na Península de Maraú:

Piscinas naturais de Taipu de Fora

As águas cristalinas da praia de Taipu de Fora na maré baixa formam lindas piscinas naturais. Logo que entrar no mar, peixinhos coloridos e muito simpáticos vão te dar as boas vindas. Você vai se encantar em meio a tanta beleza!

Piscinas naturais de Taipu de Fora

Para curtir as piscinas naturais, é preciso ficar de olho na tábua das marés e no ciclo da lua. Quanto mais baixa a maré (até 0.3), melhor a visibilidade da água. Se for na lua cheia ou nova, aí sim será perfeito!

Quer saber como é a praia de Taipu de Fora? Deslize para ver as fotos:

Bizus:

  • O melhor ponto para fazer snorkel é na ponta da praia Taipu de Fora. Chegando no bar Buda Beach, vire à direita e siga reto.
  • Em frente ao Buda Beach, tem aluguel de snorkel. Valor: 10 reais.
  • Fique de olho na tábua das marés para também curtir a praia. Na maré alta, a faixa de areia fica bem estreita.

Assista ao vídeo abaixo e conheça a praia de Taipu de Fora:

Passeio de quadriciclo pelas praias

O melhor da Península de Maraú são suas belíssimas praias, muitas ainda desertas. O único meio de chegar nas mais distantes da vila (Barra Grande) é alugar um quadriciclo. Algumas pousadas oferecem aluguel do veículo, mas também tem muitas agências por lá que oferecem o serviço. Alugue um e conheça as praias do Cassange, de Bombaça, Três Coqueiros, Algodões, Arandis e Saquaíra.

Para chegar às praias mais distantes, você passará por uma estrada de terra com bromélias gigantes, chamada Trilha das Bromélias. Lindo demais! Dá só uma olhada no cenário que você vai encontrar:

No caminho, você ainda será presenteado com as lindas vistas das lagoas Azul e do Cassange. Não deixe de dar uma parada em ambas, vai render belas fotos.

Dicas:

  • Reserve um dia para conhecer de quadriciclo as praias do Cassange, Algodões, Arandis e Saquaíra, pois são as mais distantes da vila. Em outro dia, partindo de Barra Grande, você pode percorrer a pé as praias mais próximas: Ponta do Mutá, Três Coqueiros e de Bombaça.
  • Dedique mais tempo na praia do Cassange. Ela tem muitos fãs, rs,não à toa! Lá tem boas opções de almoço.
  • Acorde cedo para fazer o passeio, pois é chão! A estrada é de terra e tem muitos buracos, é preciso ir em velocidade reduzida.
  • Cuidado com as pedras na praia Três Coqueiros. Antes de entrar na água, pergunte em um dos bares qual o melhor local para banho, principalmente se a maré estiver alta.

Morro do Farol

Quer saber como a Península de Maraú é de cima? A vista do Morro do Farol te oferece uma visão 360 graus da região. A paisagem é deslumbrante! Se estiver hospedado em Taipu de Fora, terá que alugar um quadriciclo para chegar lá. Se estiver em Barra Grande, basta pegar uma jardineira.

Praia de Taipu de Dentro

A praia de Taipu de Dentro não é uma das mais belas da Península de Maraú, mas vale conhecer. O mar calmo e sem ondas, cercado por árvores e coqueiros, é um convite para quem busca tranquilidade. Aproveite para experimentar uns petiscos no Bar do Elinaldo, que fica à beira da praia. São muito gostosos e têm um preço justo.

O bar do Elinaldo é uma ótima opção para petiscar em Taipu de Dentro

Bizu:

  • Antes de ir para Taipu de Dentro, verifique a tábua das marés. O melhor período é na maré alta.

Reserve sua hospedagem em Barra Grande por aqui no Booking.com!

Banho de mar na Ilha do Campinho

Para quem curte nadar, a praia da Ilha do Campinho é a dica. Em frente ao bar Beira Mar, as águas calmas formadas a partir do encontro do rio com o mar, os barquinhos atracados e a vista para os coqueirais deixam o cenário lindo e bucólico. Para chegar até lá, é preciso alugar um quadriciclo.

É incrível como o cenário se transforma entre as marés alta e baixa na praia do Campinho! Para curtir o banho naquele marzão, vá na maré alta. Até porque na baixa não há simplesmente nada! rs Nem um pingo de água! Olha só:

Dicas:

  • Aproveite para almoçar no Bar do Regis, que também fica à beira da praia de Campinho
  • Em um dia, dá para conhecer de quadriciclo o Morro do Farol, a Praia de Taipu de Dentro e a Ilha do Campinho

Pôr do sol na Ponta do Mutá

Dizem que o pôr do sol na praia ponta do Mutá é um dos mais lindos do mundo. É de fato espetacular! Se estiver hospedado em Barra Grande, bastam alguns poucos minutos de caminhada pela areia para assistir a esse espetáculo. Se chover, não fique triste, pode ser que você seja presenteado com um arco-íris. 🙂

Quer saber como é a praia Ponta do Mutá? Assista ao vídeo abaixo:

Passeio de barco pelas ilhas de Camamu e Cachoeira do Tremembé

Para fechar a trip com chave de ouro, faça o passeio de barco pelas Ilhas de Camamu e Cachoeira do Tremembé. Nele você vai passar por manguezais, vegetações diversas e muito verde, até chegar às charmosas ilhas da Pedra Furada, do Campinho, do Sapinho, do Goio e à Ponta da Ilha Grande.

Olha só no vídeo abaixo o que você vai encontrar na Ilha da Pedra Furada:

Deslize para ver as fotos do passeio pelas ilhas de Camamu:

Você também vai ver (talvez pela primeira vez na sua vida) uma queda d`àgua que desemboca no mar: a Cachoeira do Tremembé! Quando chega à cachoeira, o barco para em baixo da queda d`àgua, para quem quiser tomar um banho. Também dá para subir a cachu e ir até à queda mais alta, onde tem ‘hidromassagem’ e escorrega. Vale a pena!

Valor do passeio: 130 reais por pessoa

Agência: Princesinha

♥ Vai viajar para a Península de Maraú? Ao fazer a reserva de um hotel pelo blog, eu ganho uma comissão. E você não precisa pagar nada a mais por isso. Assim você me ajuda a criar mais conteúdo de qualidade para você. 🙂